domingo, 25 de setembro de 2011

A responsabilidade do Grupo de Evangelização no Hospital.

A responsabilidade do Grupo de Evangelismo no Hospital não se restringe a visitar os doentes, é dever do grupo de Evangelismo nos Hospitais cuidar dos doentes e da saúde das pessoas, as pessoas não se encontram doentes apenas nos hospitais, os mendingos das ruas não estão nos hospitais mais estão doentes por isso são também de responsabilidade desse grupo, o trabalho do grupo de Evangelização nos Hospitais deve então ser um trabalho prático, ou seja se você vê alguém na rua doente caído no chão, você não deve simplesmente pegar o nome daquela pessoa para orar e sim encaminha-lo da melhor forma posível para uma ajuda prática. Hoje o conceito de saúde não é mais ausência de doença, muitas pessoas não estão doentes fisicamente mais encontran-se com enfermidades pisicas e em outras áreas, é também de responsabilidade deste grupo cuidar da saúde mental das pessoas. Ao visitar um doente antes de se fazer uma oração de cura, deve-se buscar a raiz do problema daquela pessoa e o que dá vida aquilo, por exemplo existem pessoas com câncer, mas nem todo mundo sabe que o câncer provém de uma mágoa, é necessário libertar o físico e o interior daquela pessoa, por isso a razão de doenças que vão e voltam, oramos a pessoa vai curada mas a raiz do problema continua alí. Muitas pessoas estão doentes por que a vida delas não lhe fornece uma condição digna, po exemplo há pessoas que estão doentes por não possuírem uma vida estável financeiramente é dever neste caso do grupo não só orar pela pessoa mas encaminhá-la a uma reunião de segunda-feira, pois a raiz da doença será resolvida com uma vida de qualidade e não simplesmente com uma oração. Existem mulheres que estão com sérios problemas de saúde de nível ginecológico então é dever também do grupo fazer uma mobilização em eventos para orientar as pessoas sobre este aspecto, Câncer de colo de Útero que poderia ser evitado com uma prevenção. Buscar a raiz dos problemas de Saúde, sabemos  que é um encosto, mas muitos problemas de Saúde são por falta de cuidado consigo e com o corpo, por exemplo sabemos que existe uma membra da igreja que sofre de hipertensão e diabetes, devemos não só orar por ela, mas observar se a raiz daquele problema não está na forma que a pessoa se cuida ou se alimenta, por exemplo o pastor ora hoje para pessoa ser curada de hipertensão e a pessoa continua a ingerir alimentos com muito sal e proibidos vai resolver o problema? Possivelmente aquela membra vai ser uma pessoa que mais tarde estará internada em um hospital pedindo visita para o grupo de Evangelização no Hospital,

 Porque há muitos membros da igreja doentes? E porque devemos buscar a raiz dos problemas de Saúde?

Primeiro motivo: Porque não são dizimistas : Vai adiantar a oracão de cura se a raiz do problema for a infidelidade?
Segundo motivo: Por falta de se cuidarem e irem ao médico, e por falta de informações preventivas.
O Dever do grupo não é só visitar as pessoas quando já estão em fase terminal mas também promover a saúde através de uma ajuda prática e preventiva.
Palestras de Orientação para comunidades carentes com profissionais de Saúde sobre cuidados básicos com higiene, alimentação e prevenção de doenças  ( nos eventos da evangelização). 

Evangelização no Hospital para as Crianças :

Deve-se haver um grupo  no grupo do Hospital separdo só para visitar crianças doentes e com câncer. A E.B.I não faz isso com muita frequência e há tantas crianças doentes como adultos nos hospitais infantis e casas filantrópicas. Evangelizando os pais da criança e a mesma ganhamos muitas almas.
  



* Mobilizar e levar as pessoas aos hospitais para doar Sangue. 

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A Autoridade de pai e de Mãe.

Eu vou iniciar esse assunto com uma frase que uma mãe usou para falar com o marido pai de seu filho " Eu não vou admitir que você interfira na educação do meu filho, pois eu sei muito bem como educá-lo", "Sou eu que fico com o meu filho enquanto você só trabalha". Agora vamos analisar os vários erros cometidos por essa mãe em relação a autoridade que os pais devem exercer nos filhos.


*Primeiro: Não existe "o meu filho", o que existe é o "nosso filho", pois ela não o fez sozinha.

*Segundo: "Eu não admito que você interfira...", toda mãe ou pai deve ter ciência que a responsabilidade de educar os  filhos  é "dos pais"(plural) e não da mãe ou do pai(singular).

*Terceiro: "Você só trabalha"..., o fato do pai geralmente ser um "provedor" para o seu lar pode levá-lo a estar  ausente de sua casa por mais tempo, mas isso não quer dizer que por trabalhar muito para sustentar a própria família ele não tenha o direito de ajudar ou intervir na educação dos filhos.

*Quarto: "Pois eu sei muito bem como educá-lo", se o pai está tentando intervir ou ajudar é porque naturalmente viu algo errado, então nunca um dos pais deve achar que sabe tudo, que a sua maneira é a correta e a do parceiro está errada.

A forma com que cada um dos pais vai lhe dar com a criança pode ou não ser influenciada pela maneira que cada um foi ensinado, pelo convívio familiar que cada um teve, pelo carácter de cada um, ou pelo que os mesmos entendam sobre o que é educação. Por exemplo um pai que foi criado de uma forma autoritária pode ou não usar este mesmo método na educação do seu filho, uma mãe que foi criada diferente do pai pode então vir a ter problemas com o parceiro por não concordar com a forma de educação que o mesmo aplica. O primeiro passo no que diz respeito a autoridade dos pais é que um não deve "desaprovar" a forma de educar do outro e principalmente na frente dos filhos, e quando isso acontece ambos devem ter uma conversa e chegarem a um acordo, usando a inteligência e o bom senso, sobre qual o melhor método ou meio(forma) devem utilizar na educação dos filhos. Há pais cabeças duras que sempre vão achar "Eu fui criado assim e não teve problema, então vou fazer isso também", mas aquela forma de educação que ele vêm utilizando funcionou para ele e isso não quer dizer que venha funcionar para os filhos dele ou talvez nem esteja funcionando e ele insiste em usar, pois os tempos são outros a família é outra, é tudo diferente.A primeira coisa que os pais devem fazer é esquecer a forma que foram criados, saber que eles devem adotar a melhor forma ou maneira, a mais eficiente e inteligente para aplicar na educação de seus filhos, até porque os tempos do seu pai ou avô não são os tempos de hoje. 

 *Segundo: A autoridade que cada um usa com a criança não deve ser usada como um meio de competir o amor da criança.
Por exemplo você quer que o seu filho te ame mais e por isso quando o pai lhe dá uma ordem ou bronca você vai e acalenta a criança, beija, abraça e agrada, você não passa por cima da ordem do pai mas deixa claro a criança com as suas atitudes "qual malvado o pai é." A criança então vai ver o pai como um ser malvado que castiga e a mãe como um ser bom que o protege. Ao crescer por exemplo em uma discussão dos pais a mesma vai tentar proteger a mãe daquele ser malvado e cruel que a mãe passou para criança na infância através das suas atitudes.E a mesma coisa a mãe , ela corrige o filho e o pai chama e fala "Calma, a mamãe brigou", beija , abraça, não tira a autoridade, deixa a criança até cumprir o castigo, mas com as suas atitudes ele mostra para o filho qual  "Megera" a mãe é. O correto é quando um dos pais aplicar um castigo os dois apresentem o mesmo comportamento e reações, e mesmo achando errado alguma correção que o outro aplicou, concordar na frente da criança e deixar para discordar e conversar com o parceiro "a sós".
 " A casa dividida não subsiste" , ou seja no que diz respeito a autoridade você têm que ser um só com o seu parceiro.
Outro ponto fundamental a ser evitado é passar para criança que você a ama mais que o parceiro, e isso você não passa somente através de palavras, mas também com atitudes de "super-proteção".Evite fazer com o filho comentários do tipo: " Eu sempre cuidei de você, enquanto seu pai só trabalhava", isso vai dar para a criança a impressão de ser desprezada pelo pai e amada somente por você, o que não é verdade, além de acarretar comportamentos na criança do tipo "Eu só obedeço a minha mãe, pois foi ela que cuidou de mim". Deixe sempre claro a criança que a ausência do pai por muitas vezes se dá devido ao papel de provedor que o mesmo ocupa na família.
A casos extremos de pais que brigam por causa dos filhos e da disciplina dos filhos, e isso de maneira nenhuma deve ocorrer, estejam sempre em acordo no que diz respeito a essas decisões. 

Continua...




quarta-feira, 21 de setembro de 2011

A Guerra nas Igrejas.


Quem está certo? Ou Para onde eu vou?


Esse têm sido o pensamento de muitas pessoas que por ouvir tanta má falação, preferem até mesmo ficar em suas casas a frequentar uma igreja. O líder da denominação "A" está na TV metendo o "pau" no Líder da denominação  "B", o líder da denominação "C" está na Rádio desmoralizando e desmascarando o Líder da denominação "A", O líder da denominação "D" descobriu provas contra a Denominação "B", o Líder da denominação "E " afirma ser ele o certo e apresenta na bíblia provas que o Líder da "A,B,C,D," estão errados e são enganadores. O Líder da Denominação "F" está chamando as almas sofridas a terem um encontro com Deus e se libertarem...., mas o Líder da "TV" têm fortes provas que o Líder da "F" é falso. O líder da "B" está xingando o Pastor da "A". O líder da "C" está acusando o da "E" de lavar dinheiro. O líder da .....



Moral da História: Perderam o sentido do que Deus os chamou para fazer "Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura, quem crer e for batizado será salvo, quem não crer será condenado..." 

Até que ponto devo mimar o meu filho?

Ele(a) é filho(a) único(a), quero dar a ele tudo que eu não tive, eu só tenho ele(a) então eu mimo mesmo, faço suas vontades para não vê-lo chorar ou eu não suporto choro de criança, Faço tudo que ele quer porque ele é um bom filho e me dá alegria e etc...
Os motivos para alguns pais criarem filhos mimados são muitos, mas até que ponto isso é saudável? Ou em que pontos essa atitude se torna prejudicial.
 Mimar-Paparicar, agradar, acarinhar, fazer vontades...
Toda criança têm a necessidade de receber carinhos e demostrações de afeto dos seus pais,mas quando isso passa dos limites e se estende a também não impor limites e fazer todas as vontades da criança esse mimo passa a ser prejudicial.Quando a criança passa a perceber que os pais fazem todas as suas vontades se acostumam, é como se você deixasse claro a ela(e) quem é o SENHOR da casa.Os pais desde cedo devem mostrar a criança quem realmente conduz as decisões ou seja quem manda em quem, se o pai não corrige desde cedo algumas atitudes que aparecem nas crianças terá problemas futuros e não educará o filho  para um bom convívio na sociedade.


*Ganhar as coisas no grito- essa é uma atitude que deve ser corrigida na criança ainda na sua primeira infância. Logo quando nascem os bebês por não saberem falar têm o seu meio de comunicação eficaz "o choro", choram para conseguir o que desejam ou para sinalizar que há algo errado com eles e isso é absolutamente normal, mas quando os mesmos passam a crescer um pouco há uma necessidade por parte dos pais de ensinar a eles qual a forma correta de se conseguir as coisas que não deve ser através do choro e da chantagem.


*Deixar claro as crianças que nem sempre podemos ter o queremos e o porquê, ao dizer um NÃO sempre explique o porquê,  por exemplo o seu filho já têm um brinquedo em casa e sai com você para algum lugar e pede o mesmo brinquedo explicar para ele o porque de não comprar e não simplesmente dizer não, se você explica o motivo todas as vezes acalmará  a criança, outro exemplo é se você não têm dinheiro, deve falar o NÃO e deixar claro a criança que você não têm dinheiro ou em caso de alimentos que aquilo não faz bem a saúde dela, ex: Eu não vou te dar balas porque você foi ao dentista e está fazendo tratamento dentário,quando você explica a criança o motivo ela entende, da próxima vez quando alguém por exemplo oferecer balas a ela, ela vai recusar e dizer que não pode pois está cuidando dos dentes.
Erros a serem evitados: Quando a criança perguntar o porquê , nunca responda "PORQUE NÃO", fale o motivo verdadeiro.


* Em caso de "NÃOS" por punição a mesma coisa. Ex: Eu não vou te dar o bolo porquê você não fez a lição.


*Dar tudo que você não teve e pode dar ao seu filho não é mimar e sim oferecer a ele o melhor, só evite dar as coisas a ele sem o devido merecimento,  ensine a ele o que se deve fazer para conseguir as coisas "trabalho", "esforço", não é bom mesmo você tendo condições para isso dar as coisas ao seu filho de mão beijada, ensine desde cedo que ele têm que fazer por merecer para receber as coisas, ao dar presentes a ele também é uma boa opção explicar o porquê dele está recebendo aquilo. Ex: Eu comprei isso a você porque se destacou na escola.


*Não ceder a reações de choro e escândalo para evitar a vergonha em público, pelo contrário corrigir ele na frente de todas as pessoas presentes. Ex: O seu filho está no supermercado e pede algo, você disse NÃO e explicou o motivo, mesmo assim ele continua e reage com um ataque de histeria, você não deve ceder, mas repreende-lo imediatamente e se possível levá-lo a um lugar calmo para conversar, explique que se ele continuar da próxima vez não irá mais ao supermercado com você, e cumprir a promessa .Quando chegar a sua casa converse mais uma vez com ele, e da próxima vez que for ao supermercado deixe-o em casa explicando a ele o motivo.


*Acostumar a criança com tudo na mão sem o mínimo esforço também não é bom, mostre que para algumas coisas a criança deverá se mover, ensine a ela mesma arrumar sua cama e quarto mesmo tendo empregada, ensine a criança a se servir na mesa ao invés de colocar a comida no prato, ensine a ela mesma organizar o seu material escolar, ensine a guardar seus próprios brinquedos e a arrumar a sua própria bagunça.Isso evitará que ao crescer dependa e chame os outros para tudo.


* Se o seu filho é muito mimado poderá ter um relacionamento muito difícil com amigos e pessoas por querer  as coisas só do jeito dele e ainda poderá se tornar uma criança muito frágil que se ofende com tudo, do tipo que chora com uma simples palavra ou bronca da professora são os chamados "dengosos", e se crescem assim poderão levar isso para o trabalho não suportando nenhum tipo de repreensão ou crítica, são geralmente as pessoas que choram por tudo, até por um olhar mais frio.


*Nunca vá "tomar as dores do seu filho" em casos de repreensão na escola, busque saber o que realmente aconteceu e certifique-se de não se tratar de uma atitude de criança mimada. Caso constate que realmente ele mereceu um castigo ou uma bronca não fique do lado dele, mas junte-se ao supervisor ou professora na aplicação da correção.


Continua...

terça-feira, 20 de setembro de 2011

O Sonho dos pais nos filhos e os maus conselhos.

Outro fato importante a ser destacado no comportamento de alguns pais é o" querer ver nos seus filhos os seus sonhos frustados realizados", o pai que gostaria de ser médico e não foi tenta impor a todo custo isso para vida do filho para se ver realizado e quando o filho não corresponde começa uma guerra e inimizade entre ambos , a mãe que gostaria de ter sido rica tenta empurrar a todo custo a filha a casar com um homem rico, nem que para isso precise dar maus conselhos ou aceitar situações erradas, de repente aquela mulher cheia de pudor vê em algum relacionamento de sua filha uma oportunidade de mudar de vida, e passa por cima de seus princípios, nem que para isso tenha que destruir outras pessoas. Vou lhe dar um exemplo bem próximo, a alguns anos a mãe de uma amiga que eu tenho e que sempre teve vontade de ser rica, todos os dias falava " Eu deveria ter casado com um homem rico e você "Maria" vai fazer isso", a filha começou a namorar e a mãe investigava tudo se o pretendente não tivesse dinheiro logo ela proibia o namoro, ela sempre foi uma mulher que todos consideravam de respeito, pudor,de princípios, digna  e a favor da família. O resultado foi que a filha realmente arrumou um pretendente rico e bem rico, dono de uma rede de lojas famosas, só que tinha um detalhe " O mesmo já era casado", a filha então comunicou isso a mãe, esperando a sua reprovação, mas qual não foi o choque, a mesma a apoiou e aconselhou a destruir o casamento da outra, pouco tempo depois o marido se separou e a filha se casou com ele. Viveram uma vida boa, a mãe realmente mudou de vida, só que o final disso foi trágico, terminou em morte e assassinato. Parece coisa de filme e novela mas não é. Infelizmente existem muitos pais assim, que não somente apoiam os erros dos filhos como cooperam para sua destruição através dos maus conselhos, a verdade é que quando o assunto é dinheiro muitos pais tomam atitudes inesperadas em relação aos filhos, tenho uma prima de consideração (pois somos amigas desde pequenas e eu chamo sua mãe de tia) que apresentou tendências homossexuais, quando a mãe dela soube imediatamente a reprovou, ficou indignada, chegou a me procurar e pedir ajuda para ajudar a minha prima, pediu que eu a levasse a igreja, mas ao descobrir que a suposta namorada era advogada e tinha "muito dinheiro", mudou de ideia e aceitou pacificamente a relação, a outros pais que apoiam prostituição, tráfico e toda sorte de imundícias para verem seus sonhos e ambições realizados.
*Pais que não tiveram sonhos realizados devem superar isso e saber que os seus filhos têm seus próprios sonhos, se pelo contrário seu filho aceita pacificamente o sonho que você têm para ele você deve prosseguir, mas certificando-se que isso também é vontade dele.
* Pais que sabem dos erros dos filhos e se calam ou apoiam porque vêm nisso um meio de subir e ganhar a vida cedo ou tarde colherão as consequências do seu erro.
* Saiba que ás vezes os seus sonhos são bons para o seu filho, mas você não pode impor isso a ele, há certas escolhas na vida que só devem ser feitas pelos seus filhos e não por você.
* Você não deve criar e educar os seus filhos fazendo expectativas para você e o seu futuro, pois muitos filhos quando crescem nem lembram dos pais, se você faz planos e expectativas contando com os seus filhos poderá ficar frustado, se tiver que investir no seu filho invista para ele e não para você.
* Muitos filhos confiam muito em seus pais e seguiriam qualquer conselho que dessem a eles sem questionar, é uma responsabilidade sua aconselhar seu filho para o bem.
* A recusa do seu filho por seguir a carreira ou parceiro que você queria para ele não deve ser vista como insubmissão, essas coisas devem ser escolhidas por ele, você deve orientar, pois se lá na frente não se sentir realizado ou fracassar colocará a culpa em você, alegando que não deixou ele fazer suas próprias escolhas.


Continua...

domingo, 18 de setembro de 2011

Se aperfeiçoando na Carne.

"Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne?" Gálatas 3.3.


Não têm sido esse o comportamento de inúmeros cristãos nos dias de hoje, pessoas que começaram a servir a Deus no Espírito, e o que quer dizer no espírito, guiados pelo Espírito Santo, com as suas atitudes, reações, vida e comportamentos totalmente direcionados por ele, que então após um tempo de obediência e na fé começam a dar vasão a sua carne, tendo as suas atitudes, pensamentos e reações direcionados pela carne.
São as pessoas que em tudo antigamente buscavam na palavra de Deus a direção para suas vidas, por exemplo quando passavam uma perseguição logo lembravam da palavra de Deus que fala "Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça por que dos tais é o reino dos céus e Bem aventurados sois quando por minha causa vos injuriarem, vos perseguirem e mentindo disserem todo mal contra vós pois assim perseguiram aos profetas antes de vós, " neste momento a pessoa se alegrava e tinha uma atitude espiritual igual a do Senhor Jesus e falava : "Pai perdoa eles , pois eles não sabem o que fazem", e se contentava por saber que se estava sendo perseguida é porque era filha(0) de Deus de verdade e ficava feliz por isso.
Hoje em dia, após alguns anos na fé, você vai até a mesma pessoa e nota nela comportamentos  totalmente diferentes, na mesma situação ela age, xinga, se revolta, briga, procura meios de se defender, quer se vingar , fazer justiça com as próprias mãos e isso é só um exemplo,
antigamente a pessoa olhava para as situações e via o lado espiritual , por exemplo se tinha alguém que saía para procurar trabalho e não encontrava, via as portas fechadas, logo ele(a) orava e determinava que os demônios que estavam impedindo a sua vitória saísse dos seus caminhos, hoje numa mesma situação a mesma pessoa está "normal", acha que a dificuldade é para todos, que emprego está difícil mesmo e etc..., se alguém tentava prejudicá-la no trabalho, em casa ou na igreja ela logo fazia propósitos para tentar ajudar a pessoa, levava peças de roupa e o seu nome para a igreja pedindo a sua conversão, hoje a mesma pessoa toma atitudes carnais, se magoa, não vê que quem está usando aquela pessoa é um espírito imundo e não têm nenhum desejo de ajudá-la e sim de ver a pessoa bem longe. Infelizmente é assim que estão a maioria dos cristãos, começaram bem e agora estão a cada dia se aperfeiçoando na carne, e os que estão na carne mesmo dentro da igreja, não estão com Deus.
 Quando você passa a ter atitudes da carne o Espírito Santo perde o domínio sobre a sua vida e se não sois guiados pelo Espírito Santo por quem sois guiados? As vezes o Espírito Santo até tenta falar com a pessoa e a dirigir, mas há da parte da pessoa uma resistência atendendo aos apelos da sua carne, ela não é mais pura e nem sensível, a luta dela então passa a ser contra sangue e carne e não contra as forças espirituais do mal, ela saiu do primeiro amor e da vida com Deus, está desviada fazendo só a sua vontade mesmo dentro da igreja e não adianta o quanto se fale que ele(a) está errado(a) ele não ouve, (se há resistência a voz do Espírito Santo, dificilmente essa pessoa ouvirá alguém). E o que nós chamamos de "desviados dentro da igreja", desviados são todos aqueles que são desobedientes a palavra de Deus mesmo conhecendo-a, são os que vivem e agem na carne.
E o que Deus fala para tais pessoas que começando no Espírito agora vivem na carne:


"Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te, e volta a prática das primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.Apocalipse 2.5"



sábado, 17 de setembro de 2011

Acompanhamento e Vigilância.

Muitos pais têm dúvidas sobre como lhe dar com a privacidade dos filhos, até que ponto ou em que pontos eu devo acompanhá-los e vigiá-los?
Quando se trata de crianças a resposta é SEMPRE, as crianças são inocentes e indefesas, curiosas, precisam sempre da proteção dos pais ou responsáveis. Quando uma criança está nos primeiros anos de vida os pais têm a necessidade de vigiá-la constantemente caso contrário poderá se machucar, enfiar os dedos em tomadas,abrir gavetas e etc, isso porque tudo para ela é novo ou novidade não sabe dos perigos, a medida que a mesma vai crescendo outras coisas chamam a sua atenção, um exemplo disso é a internet, telefones,TV a cabo etc..A quem ache que o maior perigo para as crianças seja a internet pois é muito usada por pedófilos, mas os outros meios também têm sido bastante usados, vi o caso de uma adolescente que conversava com pessoas pelo telefone, descobriu um grupo gratuito de relacionamentos e ajuda para pessoas depressivas, passou a ligar e a conversar, sua mãe não desconfiava pois por ser um serviço gratuito não eram cobradas tarifas nas contas telefônicas, o resultado foi que um dos supostos atendentes passou a ensinar a menina a fazer sexo pelo telefone e se masturbar, e por fim marcou encontros secretos com a menina, o que resultou você já sabe em que..., um simples gesto dos pais de trancar o telefone, por códigos e averiguar melhor o dia a dia da menina poderia ter evitado esse problema, tudo que está ao alcance do seu filho pode ser um meio usado pelo diabo para tentar prejudicá-lo, a TV a cabo é ótima para crianças e adolescentes desde que o seu filho não descubra as senhas de entradas para os canais pornográficos, eu acho que quem têm crianças e adolescentes nem deveria ter esses canais, mesmo que tenham senhas.O seu filho está em casa, você então pensa, minha casa é um lugar seguro, livre de qualquer perigo, não está nas ruas, que mal lhe pode acontecer? É aí que você se engana, a sua casa principalmente se bem equipada, pode representar um grande perigo para o seu filho, mesmo que ele não saia de casa, pode representar perigo até a pessoa que você coloca para cuidar dele(a). Colocar câmeras de vigilância em casa e´uma boa opção mas infelizmente ainda é um recurso muito caro para muitos, mas a outros meios simples podem e devem ser adotados pelos pais:
Acompanhamento na internet: por senhas de acesso e permitir que o seu filho use a internet somente quando você estiver por perto,orientar também ajuda, mas não confie somente nas suas orientações, vigie.
O uso de telefones celulares: hoje em dia até uma criança de 4 anos têm um telefone celular, se você acha que o seu filho deve ter um telefone celular, cuide para não acontecer com ele(a) o que aconteceu com a adolescente do exemplo acima, procure por senhas para realizar ligações, deixe que a criança só receba as suas e quando quiser ligar para alguém pergunte quem é e esteja por perto, se possível ligue você mesmo para o número, dê privacidade para conversar só se você sabe que se trata de alguém confiável, saiba que isso não é um exagero é o dever dos pais proteger os filhos.  No caso de adolescentes fica mais difícil esse acompanhamento mas não deixe de orientar o seu filho(a) sobre o uso do celular.
Não se admire do seu filho falar "Você não respeita minha privacidade", é melhor você dar privacidade a ele no tempo correto,"quando já for um jovem responsável e maduro" e não precise mais da sua proteção, eu até brinco que" criança só deve ter privacidade para ir ao banheiro isso quando é maior pois quando pequena precisará da ajuda dos pais ", pois até atitudes inocentes como brincar com amigas(os) sozinhos pode representar perigos, o meu irmão mais velho foi violentado ainda criança por um vizinho quando brincavam no seu quarto,e a casos de meninas que aderem ao lesbianismo por nas brincadeiras de bonecas, as duas meninas brincando de mamãe e papai se beijarem na boca, até as brincadeiras do seu filho devem ser acompanhadas de perto, "com lentes de aumento", o mal não respeita mais a inocência das crianças, esteja atento ao deixar seu filho brincar com crianças mais velhas, há algumas crianças e adolescentes hoje que já falam e fazem sexo. 
Acompanhamento Escolar: Outra coisa que você deve se interessar é a vida escolar do seu filho, participar, ajudar, incentivar e acompanhar diariamente, se você vê que o seu filho têm dificuldades em algumas matérias e você não têm tempo de acompanhá-lo e ajudá-lo providencie aulas de reforço para o mesmo.
obs: Procure meios de incentivar o seu filho a estudar como "Bolsas de Estudo".
Continua...

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Porque não sou amigo do meu filho?



*Se você não consegue ser amigo do seu filho, principalmente do adolescente é ideal que você prepare para ele um mentor, um amigo de confiança que vai te ajudar a ajudar o seu filho, nem sempre os filhos são amigos dos próprios pais, mas são amigos de outras pessoas com as quais sintam confiança e se sintam a vontade, eu mesmo já fui amiga de adultos ajuizados, muitas vezes contava coisas a uma das minhas tias( a única que eu confiava, que não conseguiria contar ao meu pai e mãe e ela era a minha mentora ou conselheira) até hoje confio bastante nela e não conseguiria conversar com o meu pai o que conversava com ela. Por diversas vezes também saia da minha igreja a qual tinha um pastor, para conversar, desabafar e pedir aconselhamento com outro pastor de outro lugar pois tinha mais confiança nele do que no meu "pai espiritual que estava perto". Geralmente apresentam esse tipo de comportamento e problemas as crianças e adolescentes que possuem pais autoritários e fofoqueiros ( são os pais que contam todas as conversas, atitudes e comportamentos da criança e do adolescente para a família inteira e para o resto do mundo), assim como os adultos não gostam de pessoas fofoqueiras pois não sentem confiança, as crianças e adolescentes também não, o autoritarismo também impede as crianças e adolescentes de se sentirem a vontade para conversar com os próprios pais e geralmente não se tornam amigos. Outro fator que impede o seu filho de ser seu amigo(a) é a crítica demasiada, se tudo que ele(a) fala e faz você o critica ele não se sentirá a vontade para conversar com você.

*Ao conseguir um mentor para o seu filho não fique a interrogá-lo e repassar para o seu filho informações  importantes que o mesmo possa achar que deve lhe informar, certifique-se de conseguir alguém de sua inteira confiança, uma pessoa que você sabe que ajudará o seu filho e não dará a ele conselhos errados.

* Você deve ver o que está impedindo você de ser amigo do seu filho(a) e o porquê do seu filho(a) não confiar em você. A casos de adolescentes e crianças que conversam conosco para desabafar e chegam a chorar pedindo que não contemos nada para os seus pais, na maioria das vezes é por "medo dos mesmos", e ás vezes nem são coisas tão graves,  por contar até mesmo uma situação em que eles sabem que os pais estão errados ou uma situação que estão vivendo em casa, drama familiar etc... Não conseguem expor aos pais o quanto estão se sentindo incomodados com alguma coisa ou situação familiar e ainda são proibidos pelos mesmos de contarem o que vêm ou desabafarem com alguém para não manchar as suas imagens.

*Se você não faz seu filho se sentir "amado", dificilmente ele será seu amigo, nós gostamos de amigos que nos amem e gostem da gente, e com a crianças e adolescentes também é assim, ao procurar alguém para conversar procurará alguém que ele acha que gosta mais dele(a).Se você o despreza com palavras e atitudes não espere que ele(a) seja seu amigo(a), as crianças percebem quando são amadas.

Continua...

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Conhecendo e incentivando os seus filhos.



Sr. Francisco, pai de Zezé de
Camargo e Luciano.
* Conheça o seu filho: Isso é até engraçado de ser pedido, pois como poderia uma mãe não conhecer o filho que têm? Isso pareçe impossível, mas acontece, muitas mães não conhecem o seu filho e não sabem nada a seu respeito, ás vezes há casos de pais que se deparam com comportamentos do filho e vêem nele uma criança totalmente diferente da que eles pensavam conhecer.Nem sempre o que uma criança demonstra ou aparenta ser ela é, a casos de primeiras impressões erradas sobre crianças e adolescentes, nem sempre a criança tímida é a menos inteligente e nem sempre a que fala mais é inteligente, a primeira coisa que você deve conhecer no seu filho é como ele pensa e age, há mães que não sabem o nível de inteligência que o filho têm devido o mesmo ser tímido ou calado. Vou lhe dar um exemplo meu, se você liga-se pro meu pai  e falasse que eu fiz alguma coisa ele saberia se eu fiz ou não,pois ele me conhecia bem e saberia até que ponto eu chegaria ou não. E você pode dizer o mesmo do seu filho? Você o conhece o suficiente para saber como ele pensa e o que ele faria ou não?


*Algumas crianças têm um potencial incrível, possuem muitos talentos que não são explorados pelos pais, em alguns casos os pais até desconhecem, isso deve-se ao fato de não observar e nem dar atenção devida para a criança ou de não apoiá-la em um talento que ela mesma reconhece que possuí, conheci uma adolescente que nadava escondido dos pais, era campeã da sua faixa etária, no clube onde ela nadava todos a conheciam por um apelido, perguntei para ela um dia o porquê dela usar aquele apelido tão feio e ela me falou que nadava escondido pois os pais não a apoiavam no sonho de ser nadadora profissional, achavam isso "um sonho sem futuro", e não acreditaram nela , tiraram ela da natação para ela desistir disso, mas ela mentindo para os pais que fazia um curso voltou para a natação e desenvolveu seu talento escondido, achavamos triste quando ela nos convidada para assistir alguma competição pois a família nunca estava presente e nós iamos torcer por ela, e ela sempre ganhava ( ela sempre era escolhida para representar o seu clube em competições difíceis) Não sei se ela se tornou mesmo uma nadadora profissional pois perdi o contato com ela, mas o que fica de lição é até que ponto alguns pais não apoiam e desconhecem o talento de seus filhos. Muitos pais não apoiam os talentos dos filhos por acharem que os mesmos não ganharão dinheiro com isso, o que não é verdade, tive uma amiga que teve toda a sua faculdade e estudos pagos, ficou rica e viajou internacionalmente com o seu talento "dança e teatro", eu sempre costumo citar um exemplo bem conhecido de um pai que acreditou nos sonhos dos filhos de tal forma que teve a sua vida mudada e também a de toda a sua família, eu particularmente não sou fã desses cantores  mas do pai deles, "Sou fã do pai do Zezé de Camargo e Luciano, Sr. Francisco", pois ele é um exemplo de um pai que acreditou, investiu e apostou todas as fichas no talento dos filhos". Muito no que diz respeito a vitória dos seus filhos depende de você.


*Você não deve e não pode se sentir impotente diante da derrota dos seus filhos, se o seu filho vê que você acredita nele, mesmo sabendo que ele não têm todas as qualidades que você diz que ele possuí ,ele vai se sentir na obrigação de vencer porque você apostou e acreditou nele.Nos momentos mais difíceis ele vai em frente por causa de você. Dica: (Assista Questão de Honra)
continua...




quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A Disciplina, a Correção e o Castigo.

A disciplina, a correção  e o castigo> Vendo esses nomes você pode achar que são sinônimos ou seja têm significados iguais mas na verdade não são. Cada um deles são meios de disciplinar a criança, e cada um deles têm diferentes formas de serem aplicados e surtem efeitos positivos ou negativos dependendo da forma que são aplicados. Vamos analisar cada um individualmente e por etapa: 

*A Disciplina: A disciplina engloba toda a vida da criança e deve estar presente todos os dias e sempre independentemente dela cometer erros ou não. Nela se incluem também a correção e o castigo que por sua vez não devem estar presentes todos os dias na vida da criança mas somente quando necessários. A disciplina é a maneira que a criança se comporta no dia a dia, incluindo seus horários, seus modos e sua educação. Chamamos de indisciplinado a criança que foge aos padrões da disciplina e isso se observa de acordo com o seu comportamento diário. A disciplina correta que deve ser aplicada as crianças exige horário e rotina, e em casos de adolescentes exige horário e necessidades. Crianças disciplinadas têm horários e rotinas definidas para todas as atividades diárias, desde horário de refeições, de tarefas escolares, de diversões, de dormir ou acordar ( têm horário para tudo). As rotinas devem ser aplicadas principalmente as crianças menores e bebês, fazer todos os dias as mesmas atividades, nos mesmos horários. Se você educa o seu filho desde pequeno com horários ou rotinas crescerá e se tornará um adulto também disciplinado, caso contrário crescerá e se tornará um adulto do tipo " só chega atrasado no trabalho", falta muito, dorme demais e come nas horas erradas.O cuidado na disciplina deve ser dobrado na fase escolar, não permitir que a criança falte na escola por qualquer motivo e por alegar " falsas dores e doenças", a não ser que se constate realmente que está sem condições de ir a escola é um dos passos fundamentais a serem observados pelos pais. A disciplina também engloba a educação ou os modos que o seu filho têm, todos os detalhes e modos do comportamento do seu filho devem ser observados cuidadosamente por você, modo que se comporta, que se dirige as pessoas, que faz suas refeições á mesa, se fala as palavrinhas essenciais: Por favor, obrigado, licença, aceita ou servido, bom dia e etc. Observar se o seu filho pede as coisas dos outros antes de usar ou comer também faz parte dos modos. Deve-se educar a criança a só pedir as coisas em ambiente familiar, deve-se esperar que a ofereçam (ensiná-las a não aceitar em caso de desconhecidos), caso contrário pedirá tudo a todos e a estranhos, e também a organizar coisas e brinquedos. Observado esses aspectos da disciplina vamos partir para os outros dois, a correção e o castigo.


* A correção: A correção no que diz respeito aos aspectos educacionais, modos e organizacionais deve ser aplicada na hora, não esperar para mais tarde ou o dia seguinte, e deve ser aplicada quantas vezes necessárias até a criança aprender, repetir mil vezes se for preciso e sem se aborrecer até a criança gravar.Deixar primeiro a criança cometer o erro para depois ensinar, por exemplo ela pega algo sem pedir você então vai até ela e fala : "Como se fala? " há sim, por favor...eu posso", ou espera ela receber um presente e caso ela não agradeça: "Como é que se fala?" "há sim, obrigado".Em casos extremos se a criança te pedir algo e não pedir por favor e não agradecer você não faz e fala para ela que só fará se usar as palavras corretas.Modos de alimentação e na mesa também devem ser corrigidos na hora ( a não ser na presença de estranhos para não constranger a criança).
As regras e os limites devem fazem parte do dia-a-dia das crianças e adolescentes pois sem regras não há correção. Quebrada uma das regras deve-se aplicar a correção, primeiro ouvir os motivos da criança, ver se são válidos para depois aplicar a correção. Na correção você deve deixar claro que reprova  as atitudes da criança ou adolescente( não ficar feliz e rindo para a criança) e falar para a mesma o porquê, " são as famosas broncas", que dependendo da intensidade e da gravidade do problema devem ser aplicadas de uma forma mais branda ou mais severa. Algumas "Broncas" são suficientes para algumas crianças chorarem ou mudarem de comportamento, mais elas só surtem efeitos se aplicadas somente em ocasiões de erros e quebra de regras, se você vive a dar broncas sempre e o dia inteiro na criança ela não fará efeito quando realmente precisar, outro motivo que pode levar as suas broncas a não surtirem efeito é se você não cumpre a sua palavra no que diz respeito a castigos e punições.
Outros tipos de correções: Depois das broncas se a criança não obedece você deve usar outros tipos de correções como :
 "perda de algo importante ( para crianças maiores e adolescentes) de uma diversão, sem TV, sem vídeo- game, sem mesada," sempre ao aplicar uma correção deste tipo explicar para criança o porquê. 

*Colocar a criança para pensar: (isso funciona mais com crianças menores), separar um canto da casa e marcar para pôr a criança parada e sentada para pensar no que fez de errado, isso só funciona se você deixar a criança lá até o tempo estipulado não cedendo em caso de choro da criança, e se ela sair do lugar avisar que dobrará o tempo e cumprir o que falou sem ter "dó". Explicar para criança o porque de estar indo para o "cantinho pensar". 
* Em casos de adolescentes o que surte mais efeito é proibir suas diversões e saídas com amigos para ficar em casa. 


* O Castigo: Só deve ser usado quando já esgotou-se seus recursos de correção, mas só deve ser usado em casos bem graves,  têm que saber a forma correta de aplicá-los caso contrário resultará em revolta e rebeldia, não se deve descarregar na criança sua raiva e nem aplicar castigos de cabeça quente. 
Por serem mais severos os castigos causam dor ás vezes física e as vezes emocional nas crianças e se exagerados podem produzir traumas e distúrbios.
O castigo mais frequente para crianças são as palmadas, para surtirem benefícios ao se bater na criança deve-se mostrar a ela que está sendo obrigado a fazer aquilo pelo comportamento dela mas que não o queria. Ao castigar uma criança jamais xingá-la ou agredi-la verbalmente, deve-se tomar cuidado de onde se está batendo por isso não é aconselhável castigar uma criança quando se estar encolerizado ou com raiva, mas deixar a raiva passar.Assim como a bronca, o castigo quando aplicado a todo momento e por qualquer motivo não surte efeito, pois a criança "se acostumará a apanhar" e poderá até usar alguns termos quando você for castigá-la do tipo "Nem doeu", ou ficar imóvel e sem chorar para mostrar que não sente nada ou ainda lhe desafiar a bater mais forte.


continua...



terça-feira, 13 de setembro de 2011

Para as mães que aceitam mais ajuda:

Nos próximos blogs estarei postando dicas para as mães e pais que querem ajuda na educação dos seus filhos seja ele de qualquer faixa etária, são dicas preciosas e que te ajudarão junto com a suas orações e comunhão com Deus, dicas simples e facéis de praticar que se levadas a sério podem ajudar ou mudar o comportamento do seu filho, muitas delas você já pode conhecer mais vale a pena relembrar:


* Nunca se vanglorie de feitos da criança na frente da mesma,  procure evitar "elogios demasiados" em público,há pais que acreditam que elogios ao filho em público e em meio a família serve de incentivo, mas os mesmos podem provocar em algumas crianças vaidade, orgulho e uma reação de superioridade em relação as demais crianças, o correto é elogiar moderadamente e a sós.

* Recompensá-los por feitos também é recomendável desde que esses feitos não estejam incluídos em suas obrigações e responsabilidades diárias. Recompensá-los sempre por coisas cotidianas e comuns vai levá-los a não valorizar as suas recompensas e também a só realizar essas atividades com recompensa, quando você recompensa os mesmos em "situações de destaque", "superação", e coisas extras que eles fizeram surtirá um efeito positivo.

*Ensinar as crianças que tudo têm um preço, você deve começar isso desde cedo a partir dos 2 aninhos, ao comprar qualquer coisa para criança por exemplo uma bala, deve-se dar o dinheiro, umas moedinhas ou o valor correspondente  na mão da criança para que a mesma entregue o dinheiro e fique claro que ouve uma troca, isso evitará a criança de fazer pequenos furtos, em caso de crianças maiores ao sair com você para uma lanchonete por exemplo você deve calcular um valor X e ao chegar no local entregar na mão da criança para que a mesma use naquele momento no que quiser comprar, isso ensinará a ela a economizar e a usar o dinheiro só com coisas nescessárias , quando ela acabar o valor X você não deve repor ou dar mais dinheiro, na próxima vez que ela for para lanchonete vai controlar melhor o dinheiro pois saberá que deve ser usado bem e que você não irá repor, no caso de adolescentes a mesma dica funciona para as mesadas, desde que os pais ao terminarem a mesada não deêm mais dinheiro ao filho, caso contrário o adolescente vai se tornar desperdiçador e não vai aprender a usar bem o seu dinheiro. Obs: Cada vez que você entregar um Valor ao seu filho lembrá-lo de tirar o dízimo, e se for pequeno ajúdá-lo na troca do dinheiro ou dar trocado para que o mesmo saiba que deve ser fiel a Deus, isso não é um papel somente das educadoras, ao dar um dinheiro ao seu filho dê sempre um valor que ao tirar o dízimo não fará falta a criança para comprar o que precisa.

*Ao dar a mesada deixar claro que é uma ajuda de custo por ele(a) ser "estudante" e não trabalhar ainda, mas que a partir do momento que deixa de estudar perderá a mesada pois é como "uma bolsa de estudo", se você não se esforça e não tira boas notas acabará perdendo.Toda vez que for pagar a mesada a criança olhar o boletim escolar e ver as notas, muitas notas baixas devem resultar na perda da mesada naquele mês, isso fará com que a criança leve a sério seus estudos e quando crescer não perca oportunidades como bolsas de estudo em faculdades. Trocar o nome "mesada" por "Bolsa de Estudo" na hora de falar com a criança ou adolescente.


*Prefira dar outros incentivos ao dinheiro para as crianças e adolescentes que ajudam nos trabalhos domésticos,dê nesses casos as coisas que eles precisam mas ao entregar, entregue como presentes, isso evitará que tenha mais gastos com os mesmos. Por exemplo ele ajudando ou não vai precisar usar um tênis, neste caso se ele ajuda dê o que ele precisa fazendo ele achar que é um "presente por ter ajudado".


* Evite a companhia de colegas incovenientes e mais velhos, uma criança de 5 anos deve brincar com crianças da mesma faixa etária, se brinca com crianças de 10 anos poderá apreender coisas que não deve. No caso de adolescentes é o contrário, é bom andarem em companhia de outros adolescentes e de adultos (de carácter) para esclarecerem dúvidas e amadurecerem.


*Não tenha dó de separar o seu filho de amizades inconvenientes, se você vê que têm como ajudar os amigos(as) do seu filho(a) faça isso, caso contrário encontre meios de separá-los nem que para isso tenha que mudar de escola ou trocar o número de telefone. Só que faça essas coisas sem falar para a criança e adolescente o objetivo da mudança, caso contrário poderá encontrar resistência por parte dos mesmos.OBS: Se você vê que o seu filho não é influenciável ,pode andar no meio de qualquer tipo de pessoas e não muda de comportamento não há essa necessidade de preocupação, mas se você vê perigo e mudanças para pior no seu filho depois que começou alguma amizade é melhor agir.

continua....

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Para Mães que aceitam ajuda :

continuando ...


Constatei na hora que boa parte dos problemas daquele adolescente vinham de uma maldição lançada pela própria mãe que todos os dias o chamava de "sangue ruim", então neste caso para resolver o problema tive que quebrar a maldição dele e aconselhar sua mãe sobre o que vinha fazendo de errado e o porquê do seu filho estar assim, ela humildemente aceitou orientação e ajuda e passou a seguir as recomendações a ela ensinada, tanto na parte espiritual quanto na parte afetiva e de relacionamento com o filho, mudou na forma e maneira de tratá-lo e em menos de um mês já começou a ver mudanças no mesmo. Existem muitos erros que os pais cometem e nem se dão conta e acabam por isso vendo resultados opostos ao esperado na aplicação de castigos, correções e disciplinas, Veja:


* Primeiramente ao disciplinar uma criança ou adolescente verifique se o mesmo compreendeu realmente o motivo de estar sendo castigado, corrigido ou disciplinado e saiba que essas três opções são diferentes e apenas  2 delas surtem efeitos positivos ( a correção e a disciplina), o castigo só surtirá efeito positivo se souber ser aplicado, há detalhes importantes na aplicação de um castigo.


* Permaneça ao lado da criança no momento de disciplina até a recuperação ou restauração da mesma. Isolar crianças do seu dia a dia não é uma disciplina e sim um castigo.


* Nunca deixe a criança ou o adolescente encontrar erros e desvios de carácter no seu proceder como pessoa e pai (mãe) , caso contrário quando for corrigir-lhe ela vai olhar mais para os seus defeitos e erros e não vai corrigir os erros dela. E isso é o principal motivo da desgraça de muitos pais, no momento que a mãe ou pai vai corrigir a criança, a mesma  se levanta, fala ou grita muitos erros que os pais cometem e falam, e se esquecem dos erros dela(e).Por exemplo como você vai corrigir o seu filho de falar um palavrão se você fala,  quando você não têm um proceder digno, você está plantando uma criança ou adolescente rebelde e isso não têm nada haver com demônio, a criança por saber o que é certo ou errado quando você for corrigi-la e não faz a mesma coisa vai se levantar contra você. E por mais que você fale para ela que é a sua mãe ou pai e merece respeito ela não te respeitará por causa da sua conduta.


* Em casos de adolescentes os pais devem possuir  uma atratividade, inovando o seu dia a dia e deixando os mesmos participarem, parar para fazer atividades que o adolescente gosta é um meio de não perdê-lo para o mundo, adolescentes que foram criados desde pequeno na igreja têm mais tendência a se encantar com as luzes do mundo pois para eles é novidade, os pais devem apresentar as coisas de Deus aos mesmos como novidades melhores e deixar que os mesmos participem dos grupos que gostam na igreja pois se você proibir ele vai procurar outros grupos para participar "os grupos do mundo". Por exemplo vi o caso de um adolescente que o seu pai era pastor e o adolescente gostava de cantar e tocar e falou para o pai que queria ser cantor da igreja, o pai por ser pastor queria que o filho fosse também pastor e o proibiu de se envolver com a música, resultado o adolescente ficou em outros grupos da igreja e saiu fora, foi tocar em uma banda do mundo e se transformou em um metaleiro anti-cristo. E isso é só um exemplo existem vários de pré-adolescentes que tinham interesses em grupos da igreja e foram proibidos de frequentarem pelos próprios pais e o resultado foi que foram tragados pelo mundo, alguns morreram precocemente e sem salvação.


* Apoie os sonhos do seu filho e ajude-o a conquistar, não queira impor os seus sonhos e objetivos no seu filho, isso vai afastá-lo de você e você vai perdê-lo, pois não vai sentir em você apoio e incentivo.Vai ver em você um inimigo dos seu sonhos, isso aconteceu comigo e o meu pai.Obs: A mãe do Bispo Macedo o apoiou e o incentivou para que o mesmo realizasse o seu sonho de ganhar almas pelo mundo inteiro.


*  No momento de levar o adolescente a trabalhar deixe claro que têm alguém que pode contar, mas que o mesmo precisa ser responsável e ter o seu próprio trabalho, obrigar o adolescente a trabalhar com xingos, privações e outras coisas podem levar o mesmo a ter um imagem ruim do trabalho e sensação de abandono , o ideal é mostrar exemplos de outros adolescentes que ficaram ricos começando a trabalhar cedo, por exemplo o Bill Gates que começou a trabalhar praticamente criança, e muitos outros, você deve incentivar o seu filho nas habilidades que ele têm, e se o mesmo conseguir um emprego menor que a sua capacidade não o criticar, pois quando o adolescente consegue um emprego ele espera que você o parabenize e fique feliz e não que você faça uma cara de reprovação e fale:- Mas com os cursos que você têm vai trabalhar disso?  Os trabalhos pequenos além de darem ao seu filho responsabilidade e maturidade vão o engajar no meio de outros trabalhos e pessoas onde ele fará contato e verá oportunidades para trabalhos melhores e maiores.


continua....

sábado, 10 de setembro de 2011

"Os olhos".

Eu falei para uma amiga que não gosto muito de maçã.

E realmente não gosto muito se tiver de escolher entre qualquer fruta eu não escolheria maçã,mas aí veio outro dia uma senhora gentilmente me ofereçeu um pedaço de maçã, se ela não tivesse feito o esforço de ir até a cozinha pegar para mim por achar que estava com fome, se ela não tivesse saído do lugar onde estava para ir até o meu quarto só para ser gentil em me dar aquele pedaço de maçã com certeza eu não aceitaria, mas olhei e aceitei e comi sem vontade. Mas imediatamente os olhos da outra amiga me julgaram e sem falar nada é como se dissesse : "Você disse que não gostava de maça , sua mentirosa." Assim são os olhos das pessoas, rápidas no julgar.
 
Então outro dia esqueci dentro da minha bíblia em casa um dinheiro, e levei a bolsa para a igreja e não a bíblia, e comentei com uma pessoa que tinha esquecido o dinheiro em casa, e imediatamente quando a mesma me viu com a bolsa julgou-me : " Mentirosa , falou que tinha esquecido a bolsa em casa, caloteira não quis me pagar". E assim são os olhos das pessoas rápidos em julgar.

Então outro dia falei que ia trabalhar, mas acabei me atrasando e ficou tarde para ir e resolvi não ir mais, fui fazer outra coisa, e alguém me viu e julgou-me: " Mentirosa você não disse que ia trabalhar? "

Então falei para uma amiga que ia a padaria, passei na paderia lanchei e resolvi ir a lan house para escrever, e novamente a mesma coisa: "Padaria hein?"


E assim são os olhos das pessoas, rápidos no julgar...

Mães que não aceitam ajuda.

Algumas vezes fui surpreendida por mães na hora de orientá-las com os seus respectivos filhos por não ser mãe ainda, mas o fato de não ser mãe não significa que eu não tenha experiência com crianças e adolescentes, pois já cuidei de irmãos menores, por várias vezes fui babá e algumas vezes por mais tempo que os próprios pais, fazem 10 anos que trabalho com crianças e com adolescentes e vivencio as situações, dúvidas e problemas do seu dia a dia, creio eu que os diferentes casos e experiências individuais com cada criança e adolescente me deram muito mais bagagem e sabedoria do que muitas mães possuem. Essa história que só mãe entende mãe não é bem verdade, professores entendem mães, babás entendem mães, educadores entendem mães e principalmente as crianças e o seu comportamento. O que acontece é que há mães que não aceitam orientação de alguém que a mesma julgue sem experiência, mas ás vezes há pessoas que não têm filhos que conseguem mudar o comportamento de crianças problemáticas , coisas que nem a avó experiente e nem a mãe conseguiu, por exemplo se seu filho é tão problemático e você vê nele a necessidade de levá-lo a psicopedagoga, você não vai perguntar se a psicopedagoga têm filhos, porque você crê que ela pode ajudar seu filho. Mas o ponto que eu quero chegar é que há mães muito orgulhosas para deixar que alguém a ajude ou interfira na educação do seu filho, mesmo vendo que a sua metodologia de educação não têm tido êxito, possuem o seguinte pensamento: "O filho é meu e eu não admito que ninguém interfira na sua educação, eu sei como educar meus filhos", mas na verdade não sabe porquê se soubesse os seus filhos estariam bem e sem problemas. Algumas vezes atendendo a crianças eu percebi que na maioria dos casos relacionados a problemas infantis, o problema está nos pais e não nas crianças, em 95% dos casos são os pais que precisam de ajuda para que o comportamento dos filhos mudem, mas se a mãe não aceita ajuda como poderemos ajudar o filho? È comum os pais chegarem para reclamar da criança e é importante ouvir tudo com atenção, mas o mais importante é ouvir a criança para então descobrir onde está a raiz do problema , se nela ou nos pais, o que precisa ser encarado pelos pais em caso de filhos problemáticos é o seguinte: "Meu filho(a) está com problemas e eu até agora com os meus métodos e procedimentos não consegui ajudá-lo, é hora de buscar ajuda? Quem sabe você não esteja usando os métodos de educação, afetividade e  disciplina errados e isso têm prejudicado o seu filho? Saiba que nem tudo é "Demônio",mas se o problema do seu filho é um demônio ele deve ser arrancado da vida dele,  nem toda rebeldia é demônio, nem todo comportamento errado do seu filho é por falta de libertação, ás vezes até a forma que você o trata, as disciplinas que você pensa que aplica nele não são vistas por ele como disciplina, por exemplo atendendo a uma mãe ela me falou que tinha isolado o seu filho e não lhe dirigia mais a palavra, isolou ele de tudo até das comemorações familiares como disciplina por algo que o mesmo havia praticado e que não mudou de comportamento, conversando com o adolescente ele me falou que a mãe não o amava como os outros filhos pois ele era adotivo e por isso o isolava de tudo e não lhe dava presentes como os outros filhos e por isso estava disposto a encontrar sua verdadeira família, e falou que quando falava com ela sobre o assunto ela lhe dizia que ele tinha "sangue ruim" por isso era daquele jeito. Na cabeça da mãe ela estava disciplinando o adolescente, na cabeça do filho ele era discriminado por ser adotivo visto que o mesmo afirmava que os outros filhos faziam coisas piores e a mãe nunca usava esse tipo de disciplina, só com ele, e usava esse termo para disciplinar " Vá para o seu quarto , sangue ruim" ,


 Continua....
   

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

È nescessário e Convém.

Para ser líder de um trabalho com jovens e crianças é necessário que o Bispo, Pastor ou Obreiro(a)  governe bem a  própria casa .E porquê Deus fala isso? Porquê se o mesmo não consegue apascentar bem os seus próprios filhos como cuidará da igreja de Deus?
A quem não goste mas esta é a realidade, se você não ganhou nem o seu filho como ganhará outras crianças e jovens, isso não quer dizer que não possa cuidar de pessoas, e isso não sou eu que fala e sim a Palavra de Deus;
"Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia
(Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?)"1Timóteo3.4-5.

Você que é um líder  de algo precisa primeiro ter testemunho. Se você é um líder de Casais o seu casamento tem que ser perfeito, se você é um líder de Terapia do Amor você não deve e nem pode ter problemas no seu casamento e a mesma coisa é no que diz respeito aos jovens e crianças, se você é um líder de jovens e crianças e  seu filho é problemático você não pode ser líder ainda, isso não significa que não possa  orientar, você só não pode estar na frente do trabalho.Você pode por exemplo ser um pastor que têm problemas no seu casamento, e isso existe é um fato, mas neste caso não pode cuidar de casais, você estaria sendo hipócrita, teria que primeiro solucionar os seus problemas  para depois cuidar da igreja de Deus.A verdade é que quem está na frente de um  trabalho têm que ter benção para passar, e não só palavras vazias( ou seja sem testemunho pessoal), por exemplo se você mãe vai orientar uma outra mãe sobre como  fazer para que os seus filhos sejam salvos, a primeira coisa que a pessoa irá te perguntar é se essa receita funcionou com você? E se você fala que não,que os seus filhos também são problemáticos, a sua palavra cai em descrédito, e é capaz da pessoa ainda querer te consolar...Por isso que Deus fala que é nescessário ou convém,(leia 1 Timóteo 3) e se é nesessário  quer dizer é indispensável, se convém quer dizer que o contrário não convém, por isso que eu acho melhor que as pessoas que desejam servir a Deus não tenham filhos, caso contrário estarão sujeitas a passar todos esses problemas nos seus respectivos ministérios. Não me refiro a pessoas ou familiares distantes, mas pelo menos os filhos devem ser exemplos,se fosse algo que não tivesse tanta importância com certeza que Deus não teria deixado escrito na palavra dEle.
Quando há algo na minha vida que me impede de ser uma pessoa irrepreensível, eu então luto e concentro toda a minha fé neste aspecto, porque isso é a vontade de Deus, por exemplo se estou com dívidas e sei que um bom cristão não deve dever, eu imediatamente vou buscar meios de concertar isso e isso com toda a minha força, e com os filhos não deve haver descaso, o caso deve ser  tratado como se fosse uma dívida, você não pode aceitar isso, pois assim como as dívidas isso te impede de ser uma pessoa irrepreensível e consequentemente resultará em descrédito a sua falta de testemunho.
 

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Aprendendo com o CENTURIÃO.



A maioria das pessoas já ouviu a história da cura do empregado do centurião mas poucas são as pessoas que ao ler essa passagem analisaram cuidadosamente os versículos para extrair deles o máximo e aprender com ele.
 O Centurião que a bíblia fala era um homem muito rico e não fazia parte do povo de Deus, mesmo assim era bem conhecido pelos discípulos e pessoas da igreja por causa das obras que fazia, a bíblia fala que ele era um homem que ajudava o povo de Deus, ou seja era amigo das pessoas da igreja, chegando a ajudar na construção da Sinagoga, ele era tido por digno diante dos discípulos, pois apesar de não fazer parte do povo de Deus ele tinha carácter, era um homem bom, prestativo, se preocupava com seus funcionários, e principalmente ajuda na necessidade dos santos.
Ao ouvirem um pedido seu dirigido a Jesus , os discípulos logo chegaram a conclusão que ele era digno e merecia ser atendido devido as suas obras, analisando essa conclusão dos discípulos que as vezes é também a conclusão de muitas pessoas na igreja e até mesmo de alguns pastores em relação aos seus fiéis ao observarem os seus comportamentos que acham que merecem ser atendidas devido ao trabalho que realizam na igreja, as altas quantias doadas, por prestar assistência e serem dizimistas, vemos que para agradar a Deus e ser atendido é preciso muito mais que isso, o centurião poderia achar que por fazer tudo isso ele era digno da atenção e resposta de Jesus, mas pelo contrário ele sabia que mesmo fazendo tudo aquilo não pertencia ainda ao povo de Deus e isso porque ele sabia que não havia se entregado a Deus, no momento que ele pensou na santidade de Jesus a sua ficha caiu, ele viu o quanto ainda era indigno da sua presença  mesmo ele sendo um homem bom , ele reconheceu a sua condição de pecador e se achou indigno de merecer a presença de Jesus na sua casa, e observe que ninguém chegou a essa conclusão por ele, ele mesmo se julgou indgno, mesmo fazendo muitas obras na igreja se achou indgno, mesmo sendo um bom patrão, mesmo sendo um homem de carácter, mas o que ele viu naquele momento não foi o que ele fazia e sim quem ele era , e que não participava da mesma santidade de Jesus, além da humildade para reconhecer a sua condição ( de pecador indgno), nesse momento ele manifestou uma coisa que fez Jesus se admirar, uma fé pura reconhecendo a autoridade do Senhor Jesus, acreditou nele de forma total e nas palavras que saem da sua boca. Jesus não achou fé como aquela nem mesmo dentro da igreja.

Quantas não são as pessoas que se acham dignas de merecer as bençãos de Deus pelo que fazem, e não pelo que são e pela fé que há dentro delas. Saiba que você pode fazer muito mas se o que você faz não vêm acompanhado do que você é e principalmente de uma fé pura você ainda não é digno, até porque tudo aquilo que fazemos que não provém de fé é pecado, e somos justificados diante de Deus mediante a nossa fé e não por obras de justiça. Nos tornamos dignos quando temos fé e a agimos e reconhecemos diante de Deus a nossa real condição .